sábado, 6 de junho de 2009

PANACEA MUSICALIS - A música escrita no blog do Maldita...


O DÉBUT DOS DOORS*
por Ricardo André


Havia alguns meses que o DVD estava lá empoeirando na estante. Trata-se da série Classic Albums, este sobre o disco de estréia dos Doors.

Essa série é fantástica. Consegue penetrar nos bastidores da criação do album de modo a tornar ainda mais atraente a audição do disco depois de assistir o documento em vídeo. Recomendo o Catch a Fire, do Bob Marley e também o Dark Side of The Moon, do Floyd.

Mas duas coisas me impressionaram na gravação desse disco. A primeira - que eu nunca havia reparado - é que a levada inicial da percurssão de "Break on Through" é pura bossa nova e o baterista John Densmore, coberto por desgrenhados cabelos grisalhos, diz isso com todas as letras. E não para por aí!

A inconfundível levadinha do baixo - cujas linhas eram buriladas nos teclados de Ray Manzarek - inspira-se em ritmos latinos e a fusão dessa toada de bossa nova e flamenco com a guitarra contida de Robbie Krieger mais a poesia e voz furiosa de Jim Morrison formam o caldo da música que apresenta os Doors para o mundo. Quem diria? Esse som, que nada tinha de bossa e tudo tinha de novo emplacou direitinho.

Aliás, uma correção. Por definição, "bossa" designa uma especial vocação para alguma coisa. E isso os Doors tinham! A bossa nova brasileira vem daí... uma espécie de nova e fértil inclinação para aquela música que nasceu nos apartamentos de Copacabana: suave e cantada baixinho. Por acaso Jim Morrison cantava baixinho? Creio que não.

A segunda curiosidade é que o microfone utilizado na gravação do disco (Telefunken U47) foi prontamente reconhecido por Jim Morrison como o microfone do Frank Sinatra, o que causou surpresa até ao produtor do disco. Sim, Jim Morrison era um admirador do Blue Eyes.

Pensando bem, sabendo-se que os Doors, originalmente ripongas de Venice Beach, eram letrados, alunos do curso de cinema e apreciadores efusivos de jazz, não é de se espantar que Sinatra fosse idólo de Morrison, não é mesmo?

E, assim como o ponto em comum entre a música de Frank Sinatra e a de Jim Morrison limita-se ao microfone; bem assim como a bossa nova para nos primeiros segundos de Break on Through; paro também eu por aqui de me aventurar a falar do que não sei. Quem quiser saber mais que vá ver o DVD. Está repleto de histórias interessantes nos extras (incluindo a análise da letra de Break on Through) e, dos que eu vi da série, é o mais interessante.


*todas as colunas anteriores estão agora reunidas no www.panaceamusicalis.blogspot.com. Confiram e divulguem.

8 comentários:

Maldita Futebol Clube disse...

Cara, vc estava escrevendo sobre isso e eu provavelmente estava no mesmo tempo,vendo o "No one here gets out alive" - um tributo do The Doors pro Jim Morrison! Umestuydo do sopnhador líder dos Doors. Falando sobre seu fascínio por Psicologia, cinema, misticismo e sexualidade. Musicas ao vivo, making offs, entrevistas com membros da banda e criadopres do mito "Jim Morrison" como Paul rotchild e jerry Hopkins e danney suggerman.muito bom!

Prof. Mota disse...

Execpcional essa onda de bossa com the dorrs.. e já tinmha notado uma certa influência latina no baixo, mas nunca tinha me aventurado em falar isso. Agora que o panacea falou eu assino embaixo. òtimo texto e , ricardo, pode seguir se aventurando a falar porque esse tipo de aventura todos aqui gostamos!Parabéns, leandro e equipe do MFC! O blog está cad dia mias cultural e diverso. Muito bom post, Ricardo!

.Ná. disse...

Sou simplesmente apaixonada por Doors... e queria que o Jim estivesse vivo ainda! rsrsrs

Beijos, queridos.

Karen disse...

Ah, sério?
Acho que você é a primeira pessoa que eu conheço atravez do blog que conhece minha cidade, HAHAHAH.

Eu to meio perdida por aqui ainda, to tentando entender o esquema do maldita, hahaha.

Beijos!

memoriasdeaquariana disse...

Leandro, mto obrigada por visitar sempre meu blog e deixar comentários tão simpáticos..
se vc verificar meus posts antigos, vai ler a historia do Cara Valente desde o início...
ele ganhou este apelido por causa da música homônia da Maria Rita..
Hj mesmo ele ensaiou aprontar uma e eu nao estou com disposição para dar um susto.. Mas tudo bem, que sabe depois eu escrevo sobre isto..
Se quiser eu te linko as historias...
Bjos

Su disse...

Leo, muito obrigada por sua simpatia e pelo carinho que sempre tens em visitar meu cantinho!!!
Muito obrigada por tuudo!! Beijos no seu coração!!

Meninos beijo para vcs e bom domingo!!!

Roger disse...

Pô, meu irmão influenciou e muito no meu gosto musical. Entre Gentle Giant, Yes, Captain Beyond, Led Zeppelin, Jethro Trull e outras pérolas estava The Doors. E prá minha sorte eu herdei todo esse material em vinil ainda!

Gremista Fanático disse...

O blog ta cada vez melhor, falando de Macgyver e Doors, só assunto de primeira, valeu.

Perfeito!! Você esta plugado no Maldita Futebol Clube...Tá na boa, tá na área!!

Esse é um blog feito para rapaziada que curte um rock and roll, é aficcionada por seu time e ama rádio. Se você era fã do Maldita Futebol Clube está no lugar certo. Se você ainda não é fã, a hora é essa: Impasse Livre! Diariamente você nos acha por aqui. È muito bom ter a sua presença conosco. Critique, e participe, pois sua opinião é muito importante. Esse é o espírito do ILFC: Democracia, humor, irreverência. Informação com paixão! Mande e-mails para: impasselivre@yahoo.com.br.
Entre na comunidade do orkut:malditafutebolclube Ouça nosso programa, pela INTERNET, toda quarta-feira, á partir das 2o horas em 1440 AM RJ.