quarta-feira, 31 de março de 2010

Armando Nogueira e a inspiração Rubro-Negra


Não poderia deixar de prestar minha homenagem ao Armando Nogueira. Mesmo tendo escolhido de maneira errônea o seu time de coração, a sua escrita era única e digna de reconhecimento. Na verdade tinha até outros temas para fala de extrema relevância Rubro-Negra, mas resolvi explorar este assunto, por se tratar de um dos maiores cronistas esportivos que o país viu. Cronista de um tempo em que a escrita valia muito. Em que a crônica esportiva era parecida com a emoção e a paixão despertada pelo futebol. Futebol e poesia, esta era a tônica dos grandes jornalistas.

Destaco os três que considero os maiores da história: João Saldanha, Armando Nogueira e Nelson Rodrigues. Os dois primeiros botafoguenses e o último tricolor. Vocês devem estar se perguntando o motivo de citar cronistas que torciam para outros times. Mas a grande verdade é que eles sempre se renderam ao amor, à paixão e à força do Rubro-Negro Mais Querido do Mundo.

Quem nunca se arrepiou ao ler as palavras do Nelson Rodrigues descrevendo o poder do Manto Rubro-Negro? “Há de che­gar talvez o dia em que o Flamengo não precisará de jogadores, nem de técnicos, nem de nada. Bastará a camisa, aberta no ar­co. E, diante do furor impotente do adversário, a camisa rubro-negra será uma bastilha inexpugnável.”

Quem nunca se emocionou com a crônica do Armando Nogueira sobre a despedida do nosso rei Zico? “Cantemos, Maracanã, teu filho ilustre, relembrando em comunhão os dribles mais vistosos, os passes mais ditosos, os gols mais luminosos desse fidalgo dos estádios que tem uma vida cheia de multidões. Louvemos o poeta Zico que jogava futebol como se a bola fosse uma rosa entreaberta a seus pés.”

Apesar de serem torcedores de outros clubes, a inspiração deles vinha do Flamengo. O Flamengo que inspira grandes poetas, grandes profissionais, inspira os verdadeiros amantes do futebol. E mesmo torcendo para outros clubes, conseguiram expressar de maneira singular a paixão do torcedor Rubro-Negro e definir de forma perfeita a força que nosso Manto possui. Ontem, quando soube da morte do Armando, fiquei triste. Vejo as notícias esportivas, a maneira como o esporte é explorado hoje pela imprensa, de uma forma pouco criativa, sem emoção, de maneira fria e sem identificação com o torcedor. Claro que há as exceções, de grandes profissionais que ainda existem em nossa imprensa e que não citarei nomes para não cometer injustiças. Mas profissionais como ele, Nelson Rodrigues e João Saldanha estão cada vez mais escassos e em extinção nos noticiários esportivos.

A morte do Armando representa muito mais que a morte de um ser humano, de um semelhante, ou de um profissional. A morte do Armando representa a extinção de uma imprensa esportiva romântica, criativa, que arrancava suspiros, emoção e felicidade de quem lia ou ouvia. Uma imprensa que falava do futebol de uma forma mais apaixonada, verdadeira e não apenas de uma maneira estática, fria e pouco empolgante. Hoje ainda vejo excelentes profissionais, mas Armando se foi e com ele um pedaço da história, um pedaço do futebol falado, escrito, poético, um pedaço do futebol arte, literalmente.

SRN

5 comentários:

Renata Magalhães disse...

Jornalismo perdeu umna grande figura.Fica a frase mais célebre.
"Brasil,capital Brasília,Minas Gerais,Capital Atlético Mineiro!"

Cris disse...

Perdemos um grande escritor .... de palavras que não serão nunca mais ditas da mesma forma! Abraços

Mylla Galvão disse...

Oi Jeférson,
Passei pelo blog que vc me indicou...E deixei lá o meu comentário, mas não consegui segui-lo, como faço isso?
Ah! Seu texto ficou impecável!!!
O Nosso Rubro-negro é poesia pura e os cronistas, mesmo não torcendo para nós, se rendeu a nós!!!
Isso é mto bom...

O Esporte perdeu um pouco de seu encanto com a morte de Armando Nogueira e Nelson Rodrigues

Boa Páscoa e Bom fds!!!

SRN

Carlos Gregorio Junior disse...

Perdemos um grande escritor e uma grande profissional. Vai fazer falta o Armando!

Passando para desejar uma FELIZ PASCOA para todos!!

Abraços
CARLOS JUNIOR

Lú Silva disse...

Léo estou aqui óoooooo de olho em vcs! Amo vcs!!!!
Saudades suas e da galera... espero que quando o CB 2010 começar a gente se visite com mais frequencia...rsrs


Léo linda homenagem ao Grande Armando Nogueira. Pessoas assim são imortais! Estão sempre vivas nas mentes que quem os admira!
Ele falou coisas linda do Cruzeiro. Ontem no Mineirão tivemos a oportunidade de ver um lindo texto que ele diz, entre outras coisas: "É um espetáculo deslumbrante quando o Mineirão se veste todo de azul profundo pra exaltar o futebol. Azul, cor da nobreza.



Abraço forte

Perfeito!! Você esta plugado no Maldita Futebol Clube...Tá na boa, tá na área!!

Esse é um blog feito para rapaziada que curte um rock and roll, é aficcionada por seu time e ama rádio. Se você era fã do Maldita Futebol Clube está no lugar certo. Se você ainda não é fã, a hora é essa: Impasse Livre! Diariamente você nos acha por aqui. È muito bom ter a sua presença conosco. Critique, e participe, pois sua opinião é muito importante. Esse é o espírito do ILFC: Democracia, humor, irreverência. Informação com paixão! Mande e-mails para: impasselivre@yahoo.com.br.
Entre na comunidade do orkut:malditafutebolclube Ouça nosso programa, pela INTERNET, toda quarta-feira, á partir das 2o horas em 1440 AM RJ.